Search
  • Digital Brazil Project

Teto Verde ou Ar Condicionado no Parque Arará? Estudos Mostram Potencial para a Favela



Esta vídeoreportagem faz parte de uma série sobre justiça e eficiência energética nas favelas do Rio. Ela também faz parte de uma série gerada por uma parceria, com o Digital Brazil Project do Centro Behner Stiefel de Estudos Brasileiros da Universidade Estadual de San Diego na Califórnia, para produzir matérias sobre direitos humanos e justiça socioambiental nas favelas cariocas.


Quando Luis Cassiano Silva começou suas pesquisas para realizar o que viria a ser o Teto Verde Favela, em 2012, as altas temperaturas em sua casa durante o verão o motivaram a buscar alternativas para resolver um problema constante nas favelas: as ilhas de calor. O objetivo do Teto Verde Favela é simples: transformar uma ilha de calor urbana através de uma refrescante cobertura verde, tornando a área um lugar mais agradável termicamente.

Modelos implementados em países europeus como a Alemanha, onde os benefícios de telhados verdes são amplamente reconhecidos, serviram de guia para Luis. Com apoio técnico de Bruno Rezende, cuja tese estudou a produção de telhados verdes no Brasil, criaram um modelo próprio na favela do Parque Arará, na Zona Norte do Rio de Janeiro, usando vegetação adaptada ao clima tropical brasileiro, com plantas que resistissem ao calor. A fase de pesquisa e desenvolvimento foi importante: Luis e Bruno experimentaram várias técnicas para conseguir os melhores efeitos possíveis.

Como se sabe, a justiça energética é mal atendida nas favelas, e é complexa. Ao mesmo tempo, a falta de vegetação, limitações arquitetônicas e outros fatores fazem com que o uso de ar condicionado aparenta ser a única solução para domar o calor do verão carioca. Porém, os benefícios para o clima local, além dos sociais e econômicos de telhados verdes são diversos: no Parque Arará, o Teto Verde Favela já bateu o record de diminuir 15ºC na temperatura do ambiente se comparado com a casa do vizinho que não tem telhado verde. O projeto Teto Verde Favela nos mostra uma solução para reduzir a temperatura das nossas casas de forma sustentável e sem o consumo de energia elétrica. Além disso, proporciona uma melhora na qualidade do ar e reduz os custos energéticos tanto para os moradores das casas com teto verde, quanto para seu entorno.

Assista a Vídeoreportagem por Luis Cassiano Silva acima ou aqui.


Sobre o autor/roteirista: Luis Cassiano Silva é morador da favela Parque Arará, criador dos projetos “Teto Verde Favela” e “Hip Hop Sanduba“, produtor cultural, ator, videomaker, ambientalista e integrante do Grupo Teatral Manguinhos em Cena.

Arte original por Antonio Vieira

Sobre o artista: Antonio Vieira, nascido no Rio de Janeiro, é ilustrador de carioquices. Amante do carnaval das Escolas de Samba e das saídas dos batebolas dos subúrbios cariocas, é mestre em arte pelo PPGARTES UERJ, e tem interesse em pesquisar toda a movimentação negra e periférica da Cidade.

Esta matéria faz parte de uma série sobre justiça e eficiência energética nas favelas do Rio. Para contribuir com esta pauta, clique aqui.


Este artigo foi escrito por Luis Cassiano Silva, e publicado em 02/02/2021.

em *Destaque, Pesquisa e Análise, por Correspondentes Comunitários, Sociedade Civil, Soluções, Sustentabilidade, Vídeo

26 views
Film Series
Art Space
Community Reporting

Behner Stiefel Center for Brazilian Studies

  • Instragram icon
  • Facebook icon
SDSU_BrazilianStudies_Final (1).png